Dia da Consciência Negra – A luta da esquerda para manter o racismo vivo

Hoje comemora-se o Dia da Consciência Negra. A data foi escolhida para coincidir com a morte de Zumbi dos Palmares. E a data reflete bem o casuísmo daqueles que investem na perpetuação do racismo para manter e expandir seu poder, os militantes raciais.

Os militantes raciais são parte da esquerda, e como todo grupo que finge defender minorias, é mais interessante para eles que o problema que dizem combater, nunca seja solucionado. Por um simples motivo, se o problema acabar, a militância perde sua utilidade.

Sendo assim, o objetivo número um da Militância Racial hoje é criar instabilidade social de forma a perpetuar o racismo onde ele exista e forjá-lo aonde ele não possa ser encontrado.

Disso, depende a própria sobrevivência da militância e da imensa maioria das políticas de esquerda. A forma como eles subvertem a história é prova incontestável dessa situação.

Colocar o Dia da Consciência Negra no aniversário da morte de Zumbi dos Palmares, um líder tribal extremamente violento que mantinha e fazia de outros negros seus próprios escravos. Esse é o herói que a esquerda escolheu para representar a Consciência Negra.

Já grandes brasileiros como André Rebouças e Luiz Gama, abolicionistas negros, responsáveis pela libertação de mais de 500 escravos e precursores do combate ao racismo no Brasil, são apagados da história. Qual a diferença? Gama e Rebouças queriam acabar com o racismo, a esquerda não.

Compartilhe:

89 thoughts on “Dia da Consciência Negra – A luta da esquerda para manter o racismo vivo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.