PÁTRIA EDUCADORA: Só 5% saem do ensino médio com conhecimento adequado em matemática

Dado de estudo do QEdu e do Iede

31% aprendem português ideal

Segundo a última avaliação nacional do ensino básico, realizada em 2019, 95% dos alunos de escolas públicas do país terminam o ensino médio com baixo aprendizado em matemática, enfrentando dificuldades com equações básicas. Isso significa que apenas 5% absorvem o aprendizado esperado para esse nível escolar.

O resultado foi compilado em estudo realizado pelo QEdu, portal de dados sobre a educação no Brasil, e pelo Iede (Interdisciplinaridade e Evidências no Debate Educacional).

Distribuição dos alunos por nível de proficiência em Língua Portuguesa e Matemática após avaliação aplicada pelo QEdu realizada antes da pandemiaReprodução/QEdu

O resultado da mesma avaliação aponta que 31% dos alunos formados têm proficiência em língua portuguesa, mas 69% ainda apresentam dificuldades de interpretação.

Após 1 ano de escolas fechadas por causa da pandemia de covid-19, a baixa absorção do conteúdo de matemática passado aos estudantes é preocupante. Pela dificuldade de encontrar maneiras de aplicar as aulas, matérias como geometria foram retiradas da grade curricular de escolas públicas e privadas.

Em declaração ao jornal O Estado de S. Paulo, que divulgou o estudo nesta 4ª feira (24.fev.2021), o coordenador da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas, Cláudio Landim, disse que a falta de formação de professores na área da matemática é o principal fator para a dificuldade de aprendizado nos anos finais do ensino. “Os professores passam a ensinar o que não sabem às crianças. Tenta-se transmitir regras e algoritmos sem saber o que aquilo representa”, afirmou.

Segundo o estudo, 47% dos alunos de 5º ano do ensino fundamental conseguem absorver o conteúdo ministrado. Desses, 15% apresentam domínio avançado da matéria. Já no 9º ano, esse número cai para 18%, sendo somente 2% em nível avançado.

Os primeiros anos do ensino fundamental, 5º e 6º ano, apresentam o campo da aritmética aos alunos. Nessa área os estudantes são ensinados a estabelecer relações matemáticas, definir operações e identificar propriedades. A aritmética é o principal ponto de partida para a compreensão de conceitos mais complexos.

Já no ano final da formação escolar, no 3º ano do ensino médio, os alunos precisam apresentar domínio na língua matemática e suas terminologias; investigar e compreender problemas matemáticos, tais como interpretar, criticar e argumentar resultados; e desenvolver capacidades de aplicar o conteúdo em contextos sócio-culturais.

Segundo pesquisa realizada em 2017, 5,5% dos estudantes de 3º ano do ensino médio são reprovados. Já no 1º ano, a taxa é de para 15,8%.

Censo Escolar de 2017 aponta porcentagem de reprovações no ensino médioReprodução/QEdu

O ensino no Brasil tem como obstáculo, além da falta de formação dos professores citada por Cláudio Landim, a falta de recursos (ou má aplicação). O Congresso deve discutir nos próximos dias proposta de emenda à Constituição que desobriga os governos a destinarem um percentual mínimo para a educação.

Nessa 3ª feira (23.fev.2021), o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), afirmou que os gastos com educação passaram de 4% para 6% do PIB (produto interno bruto) nos últimos anos sem que houvesse melhoria nas escolas.

O resultado da mesma avaliação aponta que 31% dos alunos formados têm proficiência em língua portuguesa, mas 69% ainda apresentam dificuldades de interpretação.

Após 1 ano de escolas fechadas por causa da pandemia de covid-19, a baixa absorção do conteúdo de matemática passado aos estudantes é preocupante. Pela dificuldade de encontrar maneiras de aplicar as aulas, matérias como geometria foram retiradas da grade curricular de escolas públicas e privadas.

Compartilhe:

3 thoughts on “PÁTRIA EDUCADORA: Só 5% saem do ensino médio com conhecimento adequado em matemática

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.