Ditadura Comunista em Cuba continua em todo vapor: Maioria das redes sociais segue bloqueada após protestos

Maioria Das Redes Sociais Segue Bloqueada Após Protestos

“Restrições específicas podem limitar o fluxo de informação”, destacou comunicado da ONG Netblocks

A maioria das redes sociais e aplicativos de mensagens continua bloqueada no serviço de internet móvel de Cuba nesta quinta-feira (15), quatro dias depois dos protestos contra o governo.

A ONG Netblocks reportou que o acesso ao Youtube também passou a apresentar limitações, problemas que já tinham sido notados no Facebook, WhatsApp e Twitter.

– As restrições específicas podem limitar o fluxo de informação de Cuba após os amplos protestos de domingo, nos quais milhares de pessoas se manifestaram contra as políticas do governo e a inflação. As restrições estão mantidas na manhã desta quinta-feira – revelou o comunicado.

O acesso à internet é possível nos locais de Wi-Fi públicos e também, embora com relatos de instabilidade, nos serviços Nauta e ADSL nos domicílios, mas poucos cubanos podem pagar pela conexão em casa devido ao alto custo.

contra fatos

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.