Em universidade, Líder do movimento MST, Stédile ensina alunos a se tornarem ‘pastorzinhos de esquerda’

O líder do MST, João Pedro Stédile, durante uma aula na especialização | Foto: Reprodução/YouTube

O líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), João Pedro Stédile, está lecionando na Universidade Federal do Agreste de Pernambuco (Ufape) como professor do curso “Especialização em Questão Agrária”. Na aula inaugural, Stédile cumprimenta a todos e anuncia o objetivo da disciplina: “Vocês vão ter de ser como uns pastorzinhos populares de esquerda.”

Antes do conteúdo programático ser apresentado, os 87 alunos e outros 100 ouvintes testemunharam “palestras” de lideranças do MST e do ajuntamento Via Campesina. Stédile, então, ressaltou a importância de que o curso, por ora oferecido à distância, possa ter aulas presenciais. “Para a formação de quadros, é preciso a vivência”, salientou. “Assim, as aulas serão menos ‘aburridas’ (sic)

stédile

“A universidade brasileira nunca quis se aprofundar nesse assunto, que é de suma importância”, disse Stédile. Previsto para começar em março de 2020, a pandemia de coronavírus acabou atrasando o início do curso, que teve sua aula inaugural em dezembro do mesmo ano. As aulas são semanais, transmitidas pelo canal no YouTube do “Centro de Formação Paulo Freire.”

O curso tem 24 meses de duração, sendo 16 meses para as disciplinas e 6 meses para a entrega do TCC e finalização do curso. A especialização deve acabar em dezembro de 2022, com a defesa de uma “tese” sobre os assuntos estudados.

Conteúdo programático

A especialização trata das “intervenções na sociedade, considerando a necessidade de construção de novas relações sociais de trabalho que respeitem o ser humano, a natureza e o uso sustentável dos recursos naturais, para fortalecer os assentamentos de Reforma Agrária enquanto espaços de produção e de vida.” O objetivo é “trazer aprimoramento técnico e profissional e aprofundar os estudos da questão agrária”, informa edital da Ufape.

Pelo menos 18 conteúdos já foram disponibilizadas, com aulas de “professores” ligados ao MST ou à Escola Nacional Florestan Fernandes. Entre os temas já tratados estão Questão Agrária e o Materialismo Histórico, Princípios da Economia Política. Conceito de Renda da Terra, Avanços do Capital no Meio Ambiente no Brasil, Agroecologia, Capital Financeiro no Agronegócio, Revolução Verde no Brasil, e Desenvolvimento do Capitalismo na Agricultura.

Com informações do jornal Gazeta do Povo

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.