Damares defende veto de Bolsonaro e ironiza: ‘A prioridade é vacina ou absorvente?’

A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, comentou sobre o veto do presidente Jair Bolsonaro à distribuição gratuita de absorventes para a população mais pobre da rede pública de ensino. A ministra chegou a ironizar o caso, apontando o que para ela seria uma incoerência em relação aos gastos durante a pandemia.

“Hoje a gente tem que decidir, a prioridade é a vacina ou é o absorvente? As mulheres pobres sempre menstruaram nesse Brasil e a gente não viu nenhum governo se preocupar com isso. E agora o Bolsonaro é o carrasco, porque ele não vai distribuir esse ano”, afirmou Damares.

A declaração da ministra o correu nesta sexta-feira (8), durante um evento em Francisco Beltrão, no sudoeste do Paraná. O governo Bolsonaro, por sua vez, alegou que foi obrigado a vetar o projeto devido a ausência de informações sobre a origem dos recursos para custeio da iniciativa, o que poderia incorrer em crime de responsabilidade.

Damares argumentou ainda que no momento atual, apesar da preocupação com a chamada “pobreza menstrual”, há outras prioridades em termos de gastos públicos. “Não vamos tirar o arroz da cesta básica para colocar um absorvente, mas estamos muito preocupados com isso sim”, destacou a ministra, segundo o G1.

“Nós estávamos construindo, antes da pandemia, um programa dentro do Ministério da Saúde em parceria conosco [MMFDH]. Por que a gente não entregou? Porque a gente não tem o dinheiro. O dinheiro foi para pandemia, então a gente hoje não tem o dinheiro”, concluiu Damares.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.