Associação Médica Americana pede remoção de gênero de recém-nascidos em certidões de nascimento

Associação Médica Americana – AMA (em inglês, American Medical Association) sofreu duras críticas na última semana, ao defender publicamente o fim da descrição de gêneros nas certidões de nascimento. A informação é do Daily Wire.

Fundada em 1847, a AMA é uma das mais antigas associações de médicos dos Estados Unidos.

A posição da AMA confirma que o ativismo da ideologia de gênero também está presente em áreas em que a ciência deveria ser neutra e cega às inclinações ideológicas, como no campo da ciência biológica ou exata.

O site WebMD, especializado em medicina, resumiu a demanda da AMA, que fez objeção à descrição de gênero nas certidões de nascimento nos seguintes termos:

Requerê-la pode levar à discriminação e a encargos desnecessários para os indivíduos cuja identidade de gênero atual não corresponda à sua designação de nascimento, ou seja, quando se matriculam na escola ou na prática de esportes, adotam, se casam ou solicitam registros pessoais. A designação do sexo de uma pessoa no nascimento ainda seria submetida ao Certificado de Nascimento Vivo Padrão dos EUA apenas para uso médico, de saúde pública e estatístico, observam os autores do relatório.”

A ideologia de gênero é uma agenda do movimento progressista (esquerdista) e professa que o gênero biológico de uma pessoa não a define.

ESTUDOS NACIONAIS

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.