Carta de escola carioca alertando pais sobre ‘Round 6’ viraliza e ganha apoio de pediatras do Rio de Janeiro

Uma escola particular na Zona Oeste do Rio de Janeiro enviou um comunicado a pais e responsáveis fazendo alertas sobre a série Round 6, da Netflix. Recém-lançada, a produção sul-coreana já se tornou um dos maiores sucessos da plataforma.


No documento enviado aos responsáveis, a Escola Aladdin demonstrando preocupação com o impacto da produção nos alunos do Ensino Fundamental, que nos últimos dias, estariam “obcecados” com a série. A carta aponta que a série, de nove episódios, contém “violência explícita, tortura psicológica, suicídio, tráfico de órgãos, cenas de sexo, pederastia e palavras de baixo calão”.
“Sabemos que é responsabilidade da família decidir o que é melhor para suas crianças, mas enquanto educadores temos o dever de alertar e honrar o compromisso com a Educação. Certos de sua compreensão, nos colocamos a disposição para qualquer esclarecimento que se faça necessário”, diz o texto.


De acordo com diretores da unidade de ensino, alunos entre 7 e 8 anos estariam comentando sobre a série nos horários vagos. As crianças também estariam reproduzindo brincadeiras que, na série, fazem alusão ao assassinato de personagens.


Carta aberta aos pais e responsáveis 

Prezados,
A parceria entre escola, família e sociedade é fundamental para o sucesso da Educação. Sendo assim, nosso objetivo com esta carta é alertar aos responsáveis sobre algo que temos escutado durantes os dias com nossos alunos e tem nos chamado atenção.
No dia 17 de setembro de 2021, foi lançada na NETFLIX a série ‘ROUND 6’. A série coreana, com classificação etária de 16 anos, está batendo os ‘records’ de audiência, inclusive nas redes sociais como: Facebook, Instagram e Tik Tok.
O conteúdo da série que contém: violência explícita, tortura psicológica, suicídio, tráfico de órgãos, cenas de sexo, pederastia, palavras de baixo calão entre outras coisas tem sido assunto entre nossos alunos durante o recreio e horários livres.
A série, utiliza-se de brincadeiras simples de criança como: ‘Batatinha frita 1,2,3’, ‘Cabo de guerra’, ‘Bolas de gude’ e outras, para assassinar a ‘sangue frio’ as pessoas que não atingem o objetivo final. O que nos causa preocupação é a facilidade com que as crianças acessam esse material.


Lembramos, apenas para informação, que canais de Streaming como a NETFLIX e outros possuem a ‘Restrição de visualização por classificação etária’, uma ferramenta preciosa para que nossas crianças acessem somente o conteúdo apropriado à sua idade.
Sabemos que é responsabilidade da família decidir o que é melhor para suas crianças, mas enquanto educadores temos o dever de alertar e honrar o compromisso com a Educação. Certos de sua compreensão, nos colocamos a disposição para qualquer esclarecimento que se faça necessário.
Atenciosamente, Direção.
Com informações do Pleno News

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.