Renan ‘conduziu enredo’ para incriminar Bolsonaro, diz Jorginho Mello

Senador do PL de Santa Catarina afirma que CPI não teve limites e ‘explorou a dor’ de familiares das vítimas da covid-19

O senador Jorginho Mello (PL-SC) classificou o relatório final da CPI da Covid como 'uma vergonha'

O senador Jorginho Mello (PL-SC), um dos integrantes da minoria alinhada ao governo de Jair Bolsonaro na CPI da Covid, considerou o relatório final da comissão, de autoria de Renan Calheiros (MDB-AL), “uma vergonha”. Segundo o parlamentar, a oposição usou a comissão para atingir o presidente da República.

“Eu não concordo com absolutamente nada do relatório. Desde o início, sempre disse que o senador Renan não tem envergadura política e moral para nada”, afirmou Mello em entrevista ao programa Os Pingos nos Is, da rádio Jovem Pan, nesta quarta-feira, 20. “Ele conduziu um enredo para terminar nessa novelinha de condenar o presidente Bolsonaro.” 

O senador do PL catarinense disse que o parecer de Renan não tem nenhuma credibilidade e prometeu apresentar uma versão alternativa do relatório. “Eu nunca acreditei no relatório e continuo não acreditando. Nós temos um outro relatório que vamos apresentar, para que tenhamos uma posição firmada sobre isso. Uma mentira contada muitas vezes vira verdade”, afirmou Mello. 

Na avaliação do senador, Renan foi tendencioso na relatoria da CPI e coagiu os depoentes a dizerem o que ele gostaria. “Perdeu-se a noção do que é uma CPI fazer um levantamento sério e ouvir testemunhas, mas não da forma que ele ouviu. Ele queria que as pessoas dissessem o que ele queria ouvir”, afirmou Mello. 

“É uma vergonha. Foram lá para fazer palanque político. Eles não tiveram limite, explorando a dor das pessoas”, prosseguiu o senador. “Chamar essa CPI de circo é ofender os palhaços, é ofender os circenses.”

R. OESTE

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.