‘A milícia digital sempre foi de esquerda’, diz Carla Zambelli sobre ligação da CUT com o PT

Carla Zambelli (PL-SP) e outros deputados federais acionaram a Procuradoria-Geral Eleitoral para denunciar uma suposta campanha eleitoral da Central Única de Trabalhadores (CUT) a favor de Lula (PT), pré-candidato à presidência da República. Em entrevista exclusiva ao programa “Jornal da Manhã” deste domingo, 19, a parlamentar deu mais detalhes sobre o caso. “Nós entramos nesse processo contra a CUT, denunciando o vídeo em que a gente teve acesso, onde eles assumem que fizeram um software de envio de mensagens em massa. Como na mesma semana o ministro Alexandre de Moraes, presidente do TSE, havia dito que puniria milícias digitais que atuassem em favor ou desfavor de alguém, ele deu abertura para que a gente denunciasse isso. Na verdade, a milícia digital nunca foi de direita, sempre foi de esquerda”, disse ao Grupo Jovem Pan.

“Nós percebemos que, dentro do site do PT, tinha uma publicação sobre as brigadas digitais, ou seja, o PT tinha conhecimento. No dia seguinte da denúncia, tivemos conhecimento de um vídeo da Gleisi Hoffmann em que ela agradece as brigadas digitais, dizendo que elas eram muito necessárias. Então, percebemos que há toda uma coordenação entre CUT, PT e MST. Existe uma coordenação nacional única, que coloca todas essas organizações em conjunto para realizar ações criminosas. Eles precisam pagar por essa questão do uso do recurso de pessoas jurídicas, que é um sindicato, para ajudar o Lula. Então, entramos com um pedido de cassação do registro do PT e das candidaturas dos pré-candidatos do Partido dos Trabalhadores também”, continuou Carla Zambelli.

De acordo com a deputada federal, o Partido Liberal (PL) também vai acionar o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para pedir a cassação dos pré-candidatos do PT. “Já existe jurisprudência do Distrito Federal, que mostra: é inconstitucional o uso de recursos de pessoas jurídicas ou sindicatos para pré-campanha ou campanha. Pedimos a investigação do caso. Na medida em que ela acontecer, podemos colocar mais elementos. Apresentamos mais dados e provas, mas entramos com o MP Eleitoral com um pouco de receio. Para ser uma denúncia mais robusta, pedimos também para o Partido Liberal, que está formulando uma denúncia com mais elementos, inclusive com o vídeo da Gleise, no TSE. Então, resta saber se dentro do TSE, vamos ter imparcialidade para julgar isso”, finalizou.

Compartilhe:

Deixe um comentário