Capitão Alden chama a atenção após recentes casos de engasgos

Novos casos de engasgos foram registrados no país, o primeiro ocorreu em Ponta Porã, no estado do Mato Grosso do Sul, onde uma criança de três anos de idade morreu engasgada com um pedaço de carne de churrasco no último dia 28. A segunda ocorrência em Araraquara, no interior de São Paulo, foi em 24 de março, quando um homem engasgado em um restaurante e foi salvo por um policial militar que estava de folga. O militar aplicou a “Manobra de Heimlich” para desobstruir vias respiratórias.  

Após recentes registros de pessoas vítimas de engasgo, o deputado federal Capitão Alden (PL-BA) relembrou a importância de seu projeto aprovado no plenário da Câmara Federal que também seja bem aceito no Senado. Para o militar baiano a expectativa é que ocorra nova aprovação da proposição. 

“Tenho certeza que que o Senado aprovará, o PL 1.435/2023 que obriga escolas e estabelecimentos voltados à recreação de crianças e adolescentes, bem como lanchonetes e restaurantes de todo o país, a afixarem cartazes que ensinem os frequentadores a empregarem a ‘Manobra de Heimlich’. Com isso contribuiremos com a preservação de muitas vidas”, pontua Alden.

Para o político, a proposição é importante, pois o engasgo deixou de ser algo com poucas ocorrências no Brasil. “O engasgo é um incômodo que aparenta ser algo simples, entretanto, que registra mais de três mil casos por ano no Brasil que geraram mortes de pessoas. Mais de 94% dos casos de asfixia por engasgo ocorrem em crianças menores de sete anos segundo dados da Sociedade Brasileira de Pediatria”, pontua Alden.

Últimas Notícias