Milei defende sanções contra Venezuela

O presidente da Argentina, Javier Milei (foto), defendeu sanções diplomáticas contra a Venezuela durante uma entrevista para o o jornalista Andrés Oppenheimer, da CNN, neste domingo, 31.

Oppenheimer citou a nota escrita por Argentina, Peru, Uruguai e Costa Rica criticando o bloqueio de candidatos da oposição. O jornalista então perguntou se o presidente argentino estaria disposto a convencer outros países da América Latina a adotar sanções para “promover a democracia” na Venezuela.

No momento, já tivemos algo novo, porque todos esses países condenaram a Venezuela. Por exemplo, aqui (na Argentina), o governo anterior não teria condenado uma ditadura. Então, por princípio, nós fizemos uma condenação enfática que levantou esses alertas e, obviamente, se nós tivermos de ir adiante com sanções, eu não teria nenhum tipo de problema com isso“, disse Milei.

Oppenheimer perguntou se Milei estaria disposto a falar com esses países para avançar com as sanções.

Sim, eu estaria disposto a fazer isso, porque a carnificina que está acontecendo na Venezuela é sem precedentes. A mesma coisa acontece na ilha-prisão de Cuba”, disse Milei.

Milei retirou os embaixadores argentinos de Venezuela, Cuba e Nicarágua. Nesses países, as embaixadas são comandadas por encarregados de negócios.

Na mesma conversa, Milei acusou as ditaduras da região de terem um duplo padrão moral ao acusar Israel de genocídio na Faixa de Gaza.

Ele ressaltou que é preciso evitar julgamentos precipitados e tomar cuidado para não generalizar as ações de um país inteiro com base em um conflito específico.

O presidente argentino também afirmou que…

Leia mais em Crusoé

Últimas Notícias