Caso Henry: Delegado chama Jairinho de assassino e não poupa Monique; ‘mentirosa’

O delegado Henrique Damasceno, titular da 16ª DP da Barra da tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro, deu entrevista coletiva ao lado de outras autoridades nesta quinta-feira (8), horas depois de o casal Jairo Souza Santos, o vereador Dr. Jairinho, e Monique Medeiros terem sido presos.

Os dois estão sendo investigados pela morte do menino Henry Borel, de quatro anos. O garoto era filho de Monique e enteado de Jairinho. Henry morreu na madrugada do dia 8 de março, após ser levado pelos dois ao Hospital Barra D’Or. O garoto chegou à unidade de saúde sem vida.

A investigação teve início após laudo do Instituto Médico Legal (IML) revelar que Henry sofreu laceração hepática e hemorragia interna. No começo das investigações, Jairinho e Monique eram tratados como testemunhas. Nos últimos dias, o status de ambos passou para investigados.

Delegado não poupa Monique e Jairinho

Na entrevista coletiva de hoje, Henrique Damasceno usou termo forte para se referir a Jairinho. O delegado também criticou Monique, mãe de Henry, e a chamou de omissa diante do que estava acontecendo com o garoto de apenas quatro anos.

“Depois que veio o pior resultado possível de uma rotina de violência, que é justamente a morte do Henry, ela (Monique) esteve em sede policial, em depoimento por mais de quatro horas, apresentando uma versão mentirosa, protegendo o assassino do próprio filho. Não há a menor dúvida que ela não só se omitiu, como também concordou com esse resultado”, criticou o delegado.

As investigações continuam. Jairinho e Monique deixaram a 16ª DP e foram encaminhados ao IML para fazerem exame de corpo de delito. Em seguida, os dois foram levados ao Presídio de Benfica, porta de entrada para o sistema carcerário no Rio de Janeiro.

Compartilhe:

4 thoughts on “Caso Henry: Delegado chama Jairinho de assassino e não poupa Monique; ‘mentirosa’

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.