VIVA O COMUNISMO! Venezuela aumenta salário mínimo, que continua sendo o menor da América Latina: menos de 4 dólares

No último sábado (1º), por ocasião da comemoração do Dia do Trabalho na Venezuela, o regime socialista de Nicolás Maduro decretou um ‘aumento’ do salário mínimo para 10 milhões de bolívares (VES), o que equivale a menos de 4 dólares, segundo a taxa oficial do banco da Venezuela (2.746.151,81 VES).

De acordo com o ministro do Trabalho venezuelano, Eduardo Piñate, o novo salário mínimo será composto por 7 milhões de bolívares e o bônus alimentação de 3 milhões de bolívares, totalizando 10 milhões.

Mesmo com o aumento anunciado pelo regime socialista, a Venezuela continua sendo o país da América Latina com o menor salário mínimo, seguido por Cuba (US $ 79) e Haiti (US $ 88). No Chile, o salário é de US $ 441; no Equador, US $ 400; na Colômbia, US $ 261; no Peru, US $ 257; na Argentina, US $ 243; e no Brasil, US $ 207, de acordo com o Statística.

Este não é o primeiro aumento de salário mínimo na Venezuela. Em março deste ano foi executado outro reajuste salarial sem anúncio público, sem nota no Diário Oficial e por meio do questionado ‘Sistema Pátria’.

De acordo com documentos a que o El Nacional teve acesso em 8 de março, o salário mínimo estava fixado em 1.800.000 bolívares naquela época.

O anterior era de 1.200.000 bolívares e vigorou desde os últimos meses de 2020 sem ter sido tornado público ou publicado no Diário da República.

CONEXÃO POLÍTICA

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.