Moradores do sul de Madri protestam contra restrições: Pessoas afetadas pelas restrições de mobilidade impostas para conter a pandemia, protestaram por considerarem as medidas ‘segregacionistas’

Milhares de moradores dos bairros de Madri afetados pelas restrições de mobilidade que serão aplicadas na segunda-feira (21), para conter a pandemia da covid-19, protestaram neste domingo (20) por considerarem as medidas “segregacionistas”.

A partir desta segunda-feira, cerca de um milhão de pessoas de 37 áreas sanitárias, divididas por seis distritos da capital espanhola e outros sete municípios da região, estarão proibidas de sair dessas zonas, que concentram 13% da população e 25% dos contágios em Madrid, exceto para atividades imprescindíveis, como ir ao trabalho.

O limite das reuniões será reduzido de dez para seis pessoas, haverá uma redução geral das capacidades para 50% e um milhão de testes serão realizados para identificar pessoas infectadas pela covid-19.

“São medidas que chegam mal e tarde, como sempre, e que não são suficientes. Se tivessem sido tomadas antes, acho que estaríamos melhor em Madri”, disse Alejandro, de Villa de Vallecas, um dos bairros afetados.

Na opinião do morador, “se as pessoas continuarem a pegar o metrô para o trabalho apertadas como se estivessem em uma lata de sardinha, o contágio não vai parar”.

R7

Compartilhe:

72 thoughts on “Moradores do sul de Madri protestam contra restrições: Pessoas afetadas pelas restrições de mobilidade impostas para conter a pandemia, protestaram por considerarem as medidas ‘segregacionistas’

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.