PF faz operação contra membros do PCC que movimentaram R$ 700 milhões

A Polícia Federal deflagrou, nesta segunda-feira (3), a Operação Tempestade, que tem como objetivo desarticular o núcleo financeiro do Primeiro Comando da Capital (PCC), responsável pela lavagem de dinheiro do tráfico de drogas e da corrupção. Mandados judiciais são cumpridos em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Brasília.

Trata-se da segunda fase da Operação Rei do Crime, que teve como alvo o braço financeiro que opera em favor do PCC. Por meio da ação, deflagrada em setembro do ano passado, foram interditadas pelo menos 70 empresas e bloqueadas, com autorização da Justiça, contas bancárias, cujos valores superam R$ 730 milhões.

Segundo a Polícia Federal, o núcleo investigado nesta nova etapa é responsável pela lavagem de dinheiro do tráfico de drogas e da corrupção. Ao longo da apuração, que durou aproximadamente um ano, foram identificados alvos antigos de ações como a Operação Navalha, Prato Feito e Zelotes.

Segundo informações fornecidas pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), o grupo investigado fez operações financeiras atípicas superior a R$ 700 milhões.

De acordo com a PF, o núcleo financeiro identificado atuava em benefício de facção criminosa e atualmente desenvolvia atividades voltadas à lavagem de dinheiro do tráfico e da corrupção, tendo como modus operandi a entrega física de valores a suspeitos de práticas ilícitas, que eram os beneficiários dos saques em espécies.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.