Alemão que criou vacina anti-Covid própria é investigado pela polícia

Stoecker é cientista e costumava dar aulas em uma universidade na província de Wuhan

Winfried Stoecker, um bilionário alemão de 74 anos que desenvolveu sua própria vacina contra a Covid-19, afirmou que está desistindo de aplicar o imunizante chamado de LubecaVax.

Autoridades estão investigando Stoecker após alegações de que ele teria aplicado a suposta vacina em mais de cem pessoas no aeroporto de Lubeck, no norte da Alemanha, no sábado (27).

Segundo o tabloide britânico The Daily Mirror, o alemão é um cientista e empresário que costumava dar aulas em uma universidade na província de Wuhan, na China, onde se suspeita que tenham surgido os primeiros casos de Covid no mundo. Ele, então, começou a produzir e distribuir sua própria vacina, mas agora recuou e diz que deseja encerrar suas atividades.

“Não quero induzir ninguém a adiar a vacinação que atualmente é exigida e, por essa razão, encerrarei minhas atividades até o fim desta situação de emergência na Alemanha”, afirmou Stoecker.

Tendo em vista os desenvolvimentos catastróficos ligados à pandemia na Europa e o surgimento da variante Ômicron, ele agora mudou de opinião e acredita que a administração das vacinas oferecidas pelas autoridades de saúde seja o ideal.

O empresário disse que, apesar de a vacina não ter sido aprovada, o que a torna ilegal, o imunizante foi aplicado em cerca de 20 mil pessoas até o momento, sendo que 2.000 estão em observação constante. Nenhum efeito colateral teria sido observado.

Outros três homens, que não tiveram a identidade revelada, também estão sendo investigados pelo Ministério Público de Lubeck por causa do evento de vacinação realizado no aeroporto. 

Estagiária do R7 sob supervisão de Pablo Marques

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.