Ana Paula diz que requerimento não foi equívoco: ‘Renan Calheiros tentou intimidar jornalistas independentes’

CPI da Covid-19 desistiu de votar pedido de quebra de sigilo bancário da Jovem Pan; programa ‘Os Pingos Nos Is’ comentou a decisão

A CPI da Covid-19 desistiu de votar o requerimento de quebra de sigilo bancário da Jovem Pan. Antes do início da sessão desta terça-feira, 3, o presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM), afirmou que o pedido, de autoria do relator Renan Calheiros (MDB-AL) e do senador Humberto Costa (PT-PE) “não tem nada a ver” com as investigações do colegiado.

Em coletiva, Calheiros disse que o requerimento foi “um equívoco” que ocorreu durante sua ausência no recesso parlamentar. “Não sei de quem é a culpa, mas, de minha parte, nada que possa respingar na liberdade de expressão vai ter a minha aceitação. Esse foi um posicionamento histórico que sempre tive e essa é uma oportunidade para reafirmá-lo. Queria, sem saber de quem é a culpa, pedir desculpas pelo que aconteceu. Não vamos concordar com esse tipo de coisa”, declarou.

Para Ana Paula Henkel, comentarista do programa “Os Pingos Nos Is“, da Jovem Pan, o requerimento de Calheiros não foi um equívoco. “O que ele tentou fazer mesmo foi intimidar a Jovem Pan, esse programa, os jornalistas independentes, que questionam, que tem a pulga atrás da orelha, que querem maiores explicações e tem opiniões próprias. A verdade é essa. Não tem equívoco da assessoria. Renan Calheiros tentou, sim, intimidar jornalistas independentes”, afirmou. “Poderíamos estar comemorando, mas não tem como a gente celebrar de forma completa se outros veículos e jornalistas independentes, que questionam também esses políticos dentro e fora da pandemia, continuam sendo perseguidos”, completou.

Assista ao programa “Os Pingos Nos Is” desta terça-feira, 3, na íntegra:

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.