Idosa de 110 anos diz que fé a ajudou passar por guerras, pandemias e segregação

Viola Brown completou 110 anos no dia 4 de outubro e entrou para um grupo seleto de centenárias no mundo.

Viola Brown

Viola Roberts Lampkin Brown sobreviveu ao pior dos tempos. Nascida em 4 de outubro de 1911, era uma criança quando o Titanic afundou, na Primeira Guerra Mundial tinha 3 anos, e sobreviveu à pandemia de gripe em fevereiro de 1918 com 6 anos de idade.

Brown pode comemorar o seu 110º aniversário neste ano depois de sobreviver a pandemia mundial da Covid-19. Para a idosa, foi a sua confiança em Deus que a manteve viva durante a doença mais mortal da história dos EUA.

Sua idade a colocou em um clube exclusivo de adultos mais velhos com pelo menos 110 anos, conhecidos como supercentenários. Ela credita sua  em Deus como fonte da sua longevidade.

“Ele [Deus] me acorda de manhã. Ele me diz o que fazer. Eu não me preocupo com as coisas ”, disse Brown em uma entrevista para o The Christian Post na sua casa em Berryville, na Virgínia.

Existem apenas 17 pessoas no mundo mais velhas do que Brown e todas são mulheres, segundo o Grupo de Pesquisa em Gorontologia. Agora o Conselho de Supervisores do Condado de Clarke proclamou o dia 4 de outubro como o Dia da Viola Roberts Lampkin.

O sobrinho de Brown, Andrew Roberts, conta que sua tia-avó está sempre faland de Jesus e contagia a todos com seu exemplo de fé. “Tudo que ela fala e faz, ela honra e louva a Deus. Ela é literalmente uma cristã”, disse ele ao The Christian Post.

GIOSPEL PRIME

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.